Segunda, 22 de Julho de 2024
24°

Tempo limpo

Parintins, AM

Segurança Amazonas

Polícia Civil do Amazonas deflagra Operação Afrodite e prende 12 pessoas por crimes no âmbito da violência doméstica

Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM.

12/06/2024 às 21h20
Por: Redação Fonte: Agência Amazonas
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Agência Amazonas
Foto: Reprodução/Agência Amazonas

Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM.

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio das Delegacias Especializadas em Crimes contra a Mulher (DECCM) das zonas Centro-Sul e Norte/Leste, com o apoio da Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP) e da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai), deflagrou nesta quarta-feira (12/06) a Operação Afrodite, resultando na prisão de 12 pessoas por crimes relacionados à violência doméstica.

A operação teve início na segunda-feira (10/06) e foi finalizada hoje. Os mandados de prisão foram cumpridos em várias partes da cidade.

Em coletiva de imprensa, o delegado-geral adjunto da PC-AM, Guilherme Torres, destacou que a ação foi deflagrada no combate à violência doméstica e familiar. Torres ressaltou que somente neste primeiro semestre, já foram efetuadas mais de 60 prisões pela DECCM centro-sul.

“Hoje, tivemos o cumprimento de 12 mandados de prisão por crimes como ameaça, descumprimento de medida protetiva, violência física e violência psicológica contra mulheres. Inclusive, foi preso um indivíduo que ateou fogo na motocicleta de sua própria companheira”, informou o delegado-geral adjunto.

Foto: Reprodução/Agência Amazonas
Foto: Reprodução/Agência Amazonas

Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM.

O secretário executivo adjunto de Inteligência (Seai), Divanilson Cavalcanti, enfatizou que a Seai está sempre à disposição da PC-AM para apoiar os trabalhos.

“O trabalho da inteligência consiste nessa seara, em fornecer os dados para que a autoridade policial possa desempenhar o seu trabalho. Então, mais uma vez, o trabalho integrado entre a inteligência e o trabalho de investigação se mostrou eficaz no combate à criminalidade”, disse Cavalcanti.

Operação Afrodite

A delegada Patrícia Leão, titular da DECCM Centro-Sul, destacou que a Operação Afrodite serve para mostrar que a Lei Maria da Penha é efetiva, pois na maioria dos casos os agressores utilizam da violência psicológica para intimidar as vítimas e afirmar que elas podem procurar a polícia, pois não resultará em nada. No entanto, isso não procede.

“Então, esses 12 cumprimentos de mandados são resultados de ações efetivas de combate à violência contra a mulher. Um desses agressores já possuía sete registros de Boletim de Ocorrência (BO) por descumprimento de mandado, perseguição e injúrias”, informou Leão.

Outro caso que chamou atenção dos policiais foi o do agressor que, insatisfeito com o término do relacionamento, foi por duas noites seguidas à casa da vítima. Na primeira, ele quebrou o retrovisor e, na segunda noite, ateou fogo na motocicleta dela.

Foto: Reprodução/Agência Amazonas
Foto: Reprodução/Agência Amazonas

Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM.

“Estamos firmes no combate à violência doméstica e não vamos deixar barato. As vítimas ou qualquer pessoa que tenha conhecimento, podem nos procurar ou ligar para o 180, da Central de Atendimento à Mulher, ou diretamente em uma das DECCMs em Manaus”, relatou a delegada.

Conforme o delegado Fábio Aly, titular da Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP), durante a operação, foi possível prender uma pessoa que além de violência doméstica ainda tem uma condenação de 14 anos por homicídio, ou seja, um homicida que estava colocando a vida da esposa em risco.

“Realizamos os levantamentos necessários e nos dirigimos aos locais onde foram cumpridas as ordens judiciais. A maioria está relacionada ao descumprimento de medidas ou a pessoas que já foram condenadas e deixaram de responder à Justiça, que determinou novamente o recolhimento desses infratores”, afirmou Aly.

O delegado destacou que essa operação também serve para que as mulheres se sintam acolhidas e colocou a PC-AM à disposição para receber denúncias.

“Nesta oportunidade, coloco a Polinter à disposição de qualquer outra unidade policial que esteja interessada em realizar operações que dependam do cumprimento de mandados já emitidos. Além disso, aproveito para divulgar o número (92) 3667-7727, disque-denúncia da unidade policial, para o recebimento de quaisquer denúncias de foragidos da Justiça, inclusive pelo não pagamento de pensão alimentícia, o que também será prioridade”, finalizou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias